domingo, 7 de dezembro de 2008

Os trapalhões do crime


Eis uma listagem que deixaria Didi, Dedé, Mussum e Zacarias "no chinelo." Alguns crimes mal executados por bandidos que se sairiam muito melhor se estivessem no circo.

1. Festa antecipada- Se existisse um manual da malandragem, com certeza uma de suas primeiras regras seria sair o quanto antes do local do crime. E foi justamente isso o que um assaltante em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, não fez. Após invadir uma oficina mecânica em março de 2007 e separar o que queria roubar, ele achou carne na geladeira, uma churrasqueira e carvão. Não é que ele achou que seria uma boa idéia preparar um churrasquinho? Resultado: foi pego pela polícia com a boca na botija. Ou melhor, no espetinho.

2. Sono fora de hora- Trabalhar com sono não é recomendável para ninguém. No caso de criminosos o resultado pode ser ainda mais catastrófico. Um rapaz de 20 anos invadiu uma casa em Canoas (RS) e furtou um televisor, duas garrafas térmicas e uma chapinha de cabelo. Ele saiu, vendeu os objetos e voltou para a casa. Na segunda vez, não resistiu aos encantos do sofá e dormiu lá mesmo. Foi acordado pela polícia. Um caso parecido aconteceu em uma oficina no Recife. O ladrão dorminhoco foi pego com tudo que levaria.

3. Contrato rescindido- Triângulos amorosos podem acabar em tragédia. Mas o final deste, ocorrido em Tóquio, está mais para comédia. A amante Eriko Kawaguchi queria tanto ficar com seu amado só para si que resolveu contratar uma pessoa para matar a esposa do dito cujo. Depois de seis meses, entretanto, a oficial continuava viva, e Eriko foi se queixar à polícia, pelo fato do matador de aluguel não ter cumprido o contrato de trabalho. A amante, como se não bastasse, declarou que teria pago US$ 140 mil para o suposto atirador.

4. Aula de matemática-A estupidez não teve limites para um homem que assaltou uma unidade da loja de conveniência Circle-K em Louisiana (EUA). O plano era pedir troco para uma nota de US$ 20. Quando a atendente abriu a gaveta da registradora, ele sacou uma arma e exigiu o dinheiro. A moça não teve saída a não ser entregá-lo. O homem fugiu, deixando sua nota. O valor levado somava US$ 15.

5. Auto-escola- O velho ditado "vergonha é roubar e não poder carregar" se encaixa perfeitamente neste caso. Um ladrão no Rio de Janeiro roubou um Honda Civic, mas, como o veículo era automático e o rapaz não tinha idéia de como dirigi-lo, teve de abandoná-lo. Não satisfeito, pegou um Corsa. Mas o rapaz não conhecia direito a Zonal Sul carioca e, atrapalhado no trânsito, foi facilmente capturado pela polícia.

FONTE: Revista Galileu