sexta-feira, 29 de março de 2013

O que uma pedalada não faz...



O que uma simples e maravilhosa pedalada não pode fazer com um homem? No meu caso, que acabo de chegar de uma, posso dizer que foi revitalizadora!
Aproveitando um dia pacato na minha cidade, saí com Jennifer (nome da minha bicicleta), que há tempos estava na casa de minha mãe, emprestada ao meu irmão. Cansado e desanimado de me ver sedentário e com os mesmos e enfadonhos programas nos fins de semana (basicamente, cervejinha gelada, internet e tv), acordei hoje com o propósito de mais uma vez mudar essa rotina maçante.
E cá estou, depois de muito tempo, dividindo este momento de alegria com a minha vitória de hoje. A trilha sonora no meu celular me ajudou: só rock e bem vibrante: Red Hot, Legião, Midnight, Barão, Cazuza, Men At Work.... Ok,ok... Só música de velho, alguns dirão. Pode ser. Mas nesta ocasião é tudo que eu precisava ouvir. 
Como não consigo ver as mudanças de Campos durante a semana, e nos fins de semana quando eu saio, é sempre de carro, me assustei com algumas coisas. A mais comum: casas demolidas e prédios em construção. Tudo bem, é o preço do progresso, dirão alguns. Mesmo assim doeu. Lugares que fizeram parte de minha história. Aonde vamos parar?
Mas o ponto alto mesmo foi  chegar até o Liceu com Renato Russo cantando "... a minha escola não tem personagem, a minha escola tem gente de verdade..", trecho de "Vamos fazer um filme". Só quem é liceísta sabe o que isso quer dizer. Só quem é...
Espero que amanhã acorde com esta mesma disposição. E possa fazer como amigos que optaram por ter uma vida mais saudável e feliz usando a bicicleta para conhecer e explorar novos lugares. Ou, como fiz hoje, matar saudades de lugares do passado. Um passado feliz.
E que o futuro venha. Mais feliz ainda.