quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Meu momento inesquecível em 2009...

Feliz 2010!!!!


Mais um ano se finda e gostaria de agradecer a todos vocês que continuaram a visitar o "Todo Amor.." em 2009. Não postei com a frequência de outrora, mas continuo tendo este espaço como meu xodó. Quem sabe em 2010, eu venha mais por aqui....
Quero também desejá-los um ano novo repleto de alegria e harmonia!!!
E termino com Drummond:

Tempo em Fatias
"Quem teve a idéia de contar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial...
industrializou a esperança,
fazendo-a funcionar
no limite da exaustão.
Doze meses dão pra qualquer ser humano
se cansar e entregar os pontos.
Aí entra a renovação!!!
Tudo começa outra vez.
Com outro número e outra vontade de acreditar
que daqui por diante vai ser diferente."

Carlos Drummond de Andrade


Oração prá serenidade - Clarice Lispector


"Alivia a minha alma,
faze com que eu sinta que Tua mão está dada à minha,
faze com que eu sinta que a morte não existe porque na verdade já estamos na eternidade,
faze com que eu sinta que amar é não morrer,
que a entrega de si mesmo não significa a morte,
faze com que eu sinta uma alegria modesta e diária,
faze com que eu não Te indague demais,
porque a resposta seria tão misteriosa quanto a pergunta,
faze com que me lembre de que também não há explicação porque um filho quer o beijo de sua mãe e no entanto ele quer e no entanto o beijo é perfeito,
faze com que eu receba o mundo sem receio,
pois para esse mundo incompreensível eu fui criada e eu mesma também incompreensível, então é que há uma conexão entre esse mistério do mundo e o nosso,
mas essa conexão não é clara para nós enquanto quisermos entendê-la,
abençoa-me para que eu viva com alegria o pão que eu como,
o sono que durmo,
faze com que eu tenha caridade por mim mesma,
pois senão não poderei sentir que Deus me amou,
faze com que eu perca o pudor de desejar que na hora de minha morte
haja uma mão humana amada para apertar a minha, amém."

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Anotações sem papel-Carpinejar


A barba avança independente do que deixe para trás.
Eu tive várias vidas mas não terminei nenhuma delas.
O que sei serve apenas para me duvidar.
Temos pouco tempo para nos entender, não entendo como sobra tempo para nos explicar. Deveríamos dar ao amor a mesma religião do ódio. Quem odeia vai toda hora visitar um nome.
A primeira infância não é a primeira morte. Há datas que Deus nos paga a conta.
Deus não chega com a dor, Deus é quando falta ar para rir.
Escolher é desafiar a si mesmo a excluir justamente o que gostaríamos de dizer.
Escrevo como quem mexe na horta. As unhas não lavam as mãos.
A neblina é um rio que anda de barco. O mar sempre devolve o que não conseguiu engolir.
A terra tem mais estômago.
Sinto pena das árvores que são encontradas dias depois de sua morte.
Elas cheiram os frutos que não germinaram. Não isolo o que vivi do que imaginei ter vivido.
A poesia é a desistência de explicar. Eu dormi mais do que as palavras sonharam.
A chuva vem para lermos a casa.
Intimidade é conversar na mesa de café e apoiar o cotovelo em farelos de pão.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Amor bastante- Paulo Leminski


Quando eu vi você
tive uma idéia brilhante
foi como se eu olhasse
de dentro de um diamante
e meu olho ganhasse
mil faces num só instante
basta um instante
e você tem amor bastante
um bom poema
leva anos
cinco jogando bola,
mais cinco estudando sânscrito,
seis carregando pedra,
nove namorando a vizinha,
sete levando porrada,
quatro andando sozinho,
três mudando de cidade,
dez trocando de assunto,
uma eternidade,
eu e você,
caminhando junto...

Talvez- Pablo Neruda


Talvez não ser,
é ser sem que tu sejas,
sem que vás cortando
o meio dia com uma flor azul,
sem que caminhes mais tarde
pela névoa e pelos tijolos,
sem essa luz que levas na mão que, talvez,
outros não verão dourada,
que talvez ninguém soube que crescia
como a origem vermelha da rosa,
sem que sejas, enfim,
sem que viesses brusca, incitante conhecer a minha vida,
rajada de roseira,trigo do vento,
E desde então, sou porque tu és
E desde então és
sou e somos...
E por amor
Serei...
Serás...
Seremos...

Parabéns Lalá!!!


Eita Lalá!!! Quero só te deixar um beijo de Feliz Aniversário e dizer que te amo pra cacete!!! Há um ano, numa noite mágica, seus amigos e familiares ser reuniam ao seu redor para brindar à vida!!! Obrigado pelos momentos vividos de maneira tão intensa. Pelo carinho e pelos esporros... Você sempre será nossa meiga e doce Lalá!!!!

Um beijo....

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

A um ausente- Drummond


Tenho razão de sentir saudade,
tenho razão de te acusar.
Houve um pacto implícito que rompeste
e sem te despedires foste embora.
Detonaste o pacto.
Detonaste a vida geral, a comum aquiescência
de viver e explorar os rumos de obscuridade
sem prazo sem consulta sem provocação
até o limite das folhas caídas na hora de cair.

Antecipaste a hora.
Teu ponteiro enlouqueceu,
enlouquecendo nossas horas.
Que poderias ter feito de mais grave

do que o ato sem continuação, o ato em si,
o ato que não ousamos nem sabemos ousar
porque depois dele não há nada?

Tenho razão para sentir saudade de ti,
de nossa convivência em falas camaradas,
simples apertar de mãos, nem isso,
voz modulando sílabas conhecidas e banais
que eram sempre certeza e segurança.

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.


Para meu irmão Léo, que há 8 anos fez a sacanagem de ir embora antes da hora.

domingo, 13 de dezembro de 2009

Digitais-Isabella Taviani

Homem rosa, mulher azul - Fabrício Carpinejar


O homem é ensinado a ser homem se opondo à mulher.
Tudo o que é de mulher não é do homem. Tudo o que é do homem não é da mulher.
Joga-se o menino contra as meninas, não são eles que não se dão bem,
são os pais e próximos que os diferenciam de modo ostensivo.
Os preconceitos são invisíveis e não menos duros.
Há brincadeiras para cada um dos sexos na escola.
Futebol é para meninos, bonecas para meninas.
Não poderia brincar de casinha,
que alguma professora já me dizia que meu lugar era no campinho.
Levar carrinho de bebê, então, nem se fala (como se o homem não pudesse exercitar a paternidade logo cedo e fosse exclusividade da garota).
Formam-se rodas, panelinhas e grupos por gênero, em que é aconselhável não se misturar.
Com o pretexto de evitar a malícia e fortalecer identidades, corta-se os cabelos da boca.
Segredo de homem, segredo de mulher. Menino mija de pé, menina mija sentada.
Desde o começo, o homem entende que para ser homem não pode ser mulher. Só isso.
Não ensinam o que é ser homem, ensinam o que não é ser homem.
Ele entende errado, entende a aparência de ser homem,
ao invés de entender que para ser homem deve ser com a mulher.
É incitado a se separar, a brigar, a teimar, a não pintar as unhas, a fazer programas diferentes,
a não gostar de lojas, a não chorar em público, a não conversar demais,
a não expor seus sentimentos, a ser forte e frio, a carregar peso, a brigar com os punhos.
Ser homem condicionou-se a uma oposição à mulher,
cristalizado na figura de adversário feminino.
Eu não podia jogar amarelinha porque não era coisa de homem.
Eu não podia jogar cinco marias porque não era coisa de homem.
Até dançar, não me caía bem. Não notamos, mas criamos homens destinados a odiar a mulher. Não para amar naturalmente a mulher.
Destinados a trapacear, a fingir, a mentir, a trair,
a fugir das verdades quando elas pedem uma mudança. O depois é o antes.
Foram criados para se esconder, para se separar,
para evitar os laços mais estreitos e a familiaridade dos costumes.
Formados para não se envolver.
Recebem advertência vitalícia e implícita de que não é possível se aproximar muito dos gostos e predileções femininas,
de que é preciso manter distância, sob a pena de colocar em risco sua masculinidade.
O homem tem dificuldades de se relacionar mais do que dificuldades de relacionamento.
Está sempre sendo julgado pela sua conduta.
Se altera seu figurino e anda mais à vontade, já começa o zunido de que trocou de sexo.
Aceita-se papéis misóginos sem perceber,
aceita-se que há apenas dois banheiros e duas vidas diferentes para entrar e seguir.
As fronteiras começam antes do nascimento, na separação do enxoval azul do rosa.
Desde quando o homem não é rosa e a mulher não é azul?

sábado, 12 de dezembro de 2009

De qualquer maneira- Isabella Taviani

Fragmento - Caio Fernando Abreu


"Mas quando desvio meu olho do teu,
dentro de mim guardo sempre teu rosto
e sei que por escolha ou fatalidade,
não importa,
estamos tão enredados que seria impossível recuar para não ir até o fim (...)"

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Sentimento de amor - Joshua Cooke


O amor é o sentimento dos seres imperfeitos, posto que a função do amor é levar o ser humano à perfeição. Como são sábios aqueles que se entregam às loucuras do amor!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O sofrimento - Robin S Sharma


"É absolutamente compreensível que o sofrimento não nos agrade quando nos bate à porta,mas a verdade é que nos faz muito bem:racha a concha que reveste o nosso coração e despoja-nos das mentiras a que nos agarrámos no que respeita à pessoa que somos,à razão porque estamos neste mundoe ao modo como este nosso mundo extraordinário funciona realmente."

Sobre verdades e amor - Cáh Morandi


O amor nunca vem antes, não há oração, coração ou simpatia para que ele se anteceda.
Vencer a nós mesmos, vencer a própria pressa, suportar e decifrar o descaso e descanso da hora. Esperar. Esperar como se não tivessemos urgência,
esperar como se a espera fosse o último motivo de não ir para frente.
O amor nunca vem antes.
Nunca antes da paixão, nunca antes da primeira oportunidade para pular do barco,
nunca antes de conhecer o outro tão fundo a ponto de desistir.
O sentimento seleciona ou anula,
e entre um sim ou um não a linha é tão tênue e ao mesmo tempo um enorme abismo.
Sim ou não. Uma escolha rende a história de uma vida, ou de duas.
Escolher quando a chance de ser escolhido é bem maior.
O amor nunca vem antes...
sempre virá depois do que pensamos ser amor.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Fim de semana Cazuza

Martha Medeiros


"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."

Martha Medeiros

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Medo....


"Medo de sofrer o que não está acostumada. Medo de se conhecer e esquecer outra vez.Medo de sacrificar a amizade. Medo de perder a vontade de trabalhar, de aguardar que alguma coisa mude de repente, de alterar o trajeto para apressar encontros.

Medo se o telefone toca, se o telefone não toca. Medo da curiosidade, de ouvir o nome dele em qualquer conversa. Medo de inventar desculpa para se ver livre do medo. Medo de se sentir observada em excesso, de descobrir que a nudez ainda é pouca perto de um olhar insistente. Não suportar ser olhada com esmero e devoção.

Nem os anjos, nem Deus agüentam uma reza por mais de duas horas. Medo de ser engolida como se fosse líquido, de ser beijada como se fosse líquen, de ser tragada como se fosse leve. Você tem medo de se apaixonar por si mesma logo agora que tinha desistido de sua vida. Medo de enfrentar a infância, o seio que criou para aquecer as mãos quando criança, medo de ser a última a vir para a mesa, a última a voltar da rua, a última a chorar.

Você tem medo de se apaixonar e não prever o que pode sumir, o que pode desaparecer. Medo de se roubar para dar a ele, de ser roubada e pedir de volta. Medo de que ele seja um canalha, medo de que seja um poeta, medo de que seja amoroso, medo de que seja um pilantra, incerta do que realmente quer, talvez todos em um único homem, todos um pouco por dia.

Medo do imprevisível que foi planejado. Medo de que ele morda os lábios e prove o seu sangue. Você tem medo de oferecer o lado mais fraco do corpo. O corpo mais lado da fraqueza.Medo de que ele seja o homem certo na hora errada, a hora certa para o homem errado. Medo de se ultrapassar e se esperar por anos, até que você antes disso e você depois disso possam se coincidir novamente. Medo de largar o tédio, afinal você e o tédio enfim se entendiam.

Medo de que ele inspire a violência da posse, a violência do egoísmo, que não queira repartir ele com mais ninguém, nem com seu passado.Medo de que não queira se repartir com mais ninguém, além dele. Medo de que ele seja melhor do que suas respostas, pior do que as suas dúvidas.

Medo de que ele não seja vulgar para escorraçar mas deliciosamente rude para chamar, que ele se vire para não dormir, que ele se acorde ao escutar sua voz. Medo de ser sugada como se fosse pólen, soprada como se fosse brasa, recolhida como se fosse paz. Medo de ser destruída, aniquilada, devastada e não reclamar da beleza das ruínas. Medo de ser antecipada e ficar sem ter o que dizer. Medo de não ser interessante o suficiente para prender sua atenção. Medo da independência dele, de sua algazarra, de sua facilidade em fazer amigas. Medo de que ele não precise de você.

Medo de ser uma brincadeira dele quando fala sério ou que banque o sério quando faz uma brincadeira. Medo do cheiro dos travesseiros. Medo do cheiro das roupas. Medo do cheiro nos cabelos. Medo de não respirar sem recuar. Medo de que o medo de entrar no medo seja maior do que o medo de sair do medo. Medo de não ser convincente na cama, persuasiva no silêncio, carente no fôlego. Medo de que a alegria seja apreensão, de que o contentamento seja ansiedade. Medo de não soltar as pernas das pernas dele. Medo de soltar as pernas das pernas dele.

Medo de convidá-lo a entrar, medo de deixá-lo ir. Medo da vergonha que vem junto da sinceridade. Medo da perfeição que não interessa. Medo de machucar, ferir, agredir para não ser machucada, ferida, agredida. Medo de estragar a felicidade por não merecê-la. Medo de não mastigar a felicidade por respeito. Medo de passar pela felicidade sem reconhecê-la.

Medo do cansaço de parecer inteligente quando não há o que opinar. Medo de interromper o que recém iniciou, de começar o que terminou. Medo de faltar as aulas e mentir como foram.Medo do aniversário sem ele por perto, dos bares e das baladas sem ele por perto, do convívio sem alguém para se mostrar. Medo de enlouquecer sozinha. Não há nada mais triste do que enlouquecer sozinha.

Você tem medo de já estar apaixonada..."


Trecho do livro "O amor esquece de começar" de Fabrício Carpinejar

Clarice Lispector- "Não entendo"


Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender. Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo.

Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida.

É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco. Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.


Clarice Lispector

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Ouse-Mark Twain


"Daqui há vinte anos você estará mais desapontado com as coisas que não fez
do que com as que fez.
Então jogue fora os limites.
Navegue para longe do porto seguro.
Sinta os ventos em suas velas.
Explore.
Sonhe.
Descubra."

Sessão Nostalgia

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Autenticidade- Dalai Lama


"Pouco importa o julgamento dos outros.Os seres são tão contraditórios que é impossivel atender às suas demandas, satisfazê-los. Tenha em mente simplesmente ser autêntico e verdadeiro."

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A importância da ioga contra a depressão e ansiedade



"Uma pesquisa conduzida na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) comprovou uma antiga suspeita. A prática da ioga é capaz de combater a depressão e a ansiedade, além de aumentar a qualidade de vida e a produtividade."Foi principalmente contra a ansiedade que detectamos efeitos positivos, porque a ioga trabalha a concentração", diz a pesquisadora Thais Godoy, do Instituto de Medicina Comportamental do Departamento de Psicobiologia da Unifesp.Professora de posturas e chacras (pontos de energia no corpo) há cinco anos, Thais decidiu testar cientificamente as mudanças observadas em seus próprios alunos. "Muita gente começa a fazer ioga sem botar fé nos benefícios", diz. "Assim mesmo, eles vêm, pois, como um exercício físico, a ioga interfere no organismo a despeito da consciência e da vontade do praticante".Para Ricardo Monezi, professor da Unifesp e orientador da pesquisa, um dos grandes feitos da ioga é minar os sintomas do stress e da depressão. "Muitas pessoas deprimidas têm dor nas costas por adotar uma postura arqueada, e essa dor reabastece a depressão", diz Monezi. A ioga, garante o especialista, trabalha a postura e a respiração, alivia a dor e propicia uma melhora na qualidade de vida.Teoria e prática - O estudo acompanhou por três meses 15 voluntários submetidos a exercícios de respiração e de postura - o grupo recebeu o nome de experimental. Simultaneamente, outras 15 pessoas, que não realizaram nenhuma atividade física, também foram observadas - é o chamado grupo de controle. Os níveis de ansiedade e depressão de todos foram mensurados no começo e no fim do estudo.Quando a pesquisa foi iniciada, o grupo experimental apresentava, na média, um nível de ansiedade entre leve e moderado. Ao final do estudo, esses voluntários já apresentavam sinais apenas leves. Já o grupo de controle, que não realizou a ioga, manteve os mesmos níveis.No caso da depressão, a diferença entre os grupos é numérica, porque ambos tiveram a mesma evolução em termos de nível - passando do patamar leve para o mínimo. A vantagem do grupo iogue está na quantidade de participantes que registrou evolução: 68%, ante 39%.Complemento - Apesar dos bons efeitos obtidos com a ioga, Thais alerta que a prática deve ser encarada como uma arma complementar contra a depressão e a ansiedade, e nunca como remédio único."


Texto de Maria Carolina Maia, extraído do Blog "Amigos de Freud".

Viver- Clarice Lispector


"Respeite a você mais do que aos outros,respeite suas exigências, respeite mesmo o que é ruim em você - respeite sobretudo o que você imagina que é ruim em você -pelo amor de Deus, não queira fazer de você uma pessoa perfeita - não copie uma pessoa ideal, copie você mesma - é esse o único meio de viver."

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Paciência- Lenine e Dudu Falcão


Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma

Até quando o corpo pede um pouco mais de alma

A vida não para


Enquanto o tempo acelera e pede pressa

Eu me recuso faço hora vou na valsa

A vida é tão rara


Enquanto todo mundo espera a cura do mal

E a loucura finge que isso tudo é normal

Eu finjo ter paciência


O mundo vai girando cada vez mais veloz

A gente espera do mundo e o mundo espera de nós

Um pouco mais de paciência


Será que é o tempo que lhe falta pra perceber

Será que temos esse tempo pra perder

E quem quer saberA vida é tão rara (Tão rara)


Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma

Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma

Eu sei, a vida não para(a vida não para não)


Será que é tempo que me falta pra perceber

Será que temos esse tempo pra perder

E quem quer saber

A vida é tão rara (tão rara)


Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma

Até quando o corpo pede um pouco mais de alma

Eu sei, a vida não para(a vida não para não...a vida não para)

Confiança-Dalai Lama


"Quando você se abrir espiritualmente,
faça-o somente para alguém em quem confie do fundo do seu coração,
alguém bem próximo de você.
Este tipo de abertura é um passo importante para a
superação dos problemas espirituais."

terça-feira, 17 de novembro de 2009

DOZE CONSELHOS PARA TER UM INFARTO FELIZ !!!

1.Cuide de seu trabalho antes de tudo. As necessidades pessoais e familiares são secundárias.
2.Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder também aos domingos.
3.Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde.
4.Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe solicitarem.
5.Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias, conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc.
6.Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição tranqüila. Pelo contrário, não perca tempo e aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes.
7.Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis. Afinal, tempo é dinheiro.
8.Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você é de ferro. (E ferro enferruja!!)9.Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para ver se nada está errado. Delegar é pura bobagem; é tudo com você mesmo.
10.Se sentir que está perdendo o ritmo, o fôlego e pintar aquela dor de estômago, tome logo estimulantes, energéticos e anti-ácidos. Eles vão te deixar tinindo.
11.Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos.
12.E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração, meditação, audição de uma boa música e reflexão sobre sua vida. Isto é para crédulos e tolos sensíveis. Repita para si: "Eu não perco tempo com bobagens."
As dicas são do Dr. Ernesto Artur, cardiologista, que diz: " Quando publiquei estes conselhos 'amigos-da-onça' em meu site, recebi uma enxurrada de e-mails, até mesmo do exterior, dizendo que isto lhes serviu de alerta, pois muitos estavam adotando esse tipo de vida inconscientemente."
OS ATAQUES DE CORAÇÃO
Uma nota importante sobre os ataques cardíacos. Há outros sintomas de ataques cardíacos, além da dor no braço esquerdo(direito). Há também, como sintomas vulgares, uma dor intensa no queixo, assim como náuseas e suores abundantes. Pode-se não sentir nunca uma primeira dor no peito, durante um ataque cardíaco. 60% das pessoas que tiveram um ataque cardíaco enquanto dormiam, não se levantaram. Mas a dor no peito, pode acordá-lo de um sono profundo. Se assim for, dissolva imediatamente duas Aspirinas na boca e engula-as com um bocadinho de água. Ligue para Emergência (193 ou 190) e diga ''ataque cardíaco'' e que tomou 2 Aspirinas. Sente-se numa cadeira ou sofá e force uma tosse, sim forçar a tosse pois ela fará o coração pegar no tranco; tussa de dois em dois segundos, até chegar o socorro... NÃO SE DEITE !!!!Um cardiologista disse que, se cada pessoa que receber tiver acesso a estas informações e enviar a 10 pessoas, pode ter a certeza de que se salvará pelo menos uma vida!Como a média de visitas no blog é superior a este número, espero poder ajudar de alguma forma.

Loucura- Caio Fernando Abreu


"Preciso ter certeza
que inventar nosso encontro sempre foi pura intuição,
não mera loucura.
Ah, imenso amor desconhecido.
Para não morrer de sede,
preciso de você agora..."

Tolerância- José Saramago

"Tolerar a existência do outro
e permitir que ele seja diferente,
ainda é muito pouco.
Quando se tolera,
apenas se concede,
e essa não é uma relação de igualdade,
mas de superioridade de um sobre o outro".

domingo, 8 de novembro de 2009

Inconfesso desejo- Drummond


"Queria ter coragem
Para falar deste segredo
Queria poder declarar ao mundo
Este amor
Não me falta vontade
Não me falta desejo
Você é minha vontade
Meu maior desejo
Queria poder gritar
Esta loucura saudável
Que é estar em teus braços
Perdido pelos teus beijos
Sentindo-me louco de desejo
Queria recitar versos
Cantar aos quatros ventos
As palavras que brotam
Você é a inspiração
Minha motivação
Queria falar dos sonhos
Dizer os meus secretos desejos
Que é largar tudo
Para viver com você
Este inconfesso desejo"

terça-feira, 3 de novembro de 2009

O que resta- Fabricio Carpinejar


"Chega um momento
em que somos aves na noite,
pura plumagem, dormindo de pé,
com a cabeça encolhida.
O que tanto zelamos
na fileira dos dias,
o que tanto brigamos
para guardar, de repente
não presta mais: jornais, retratos,
poemas, posteridade.
Minha bagagem
é a roupa do corpo."

domingo, 1 de novembro de 2009

Amar- Fabricio Carpinejar


"Amar não dá poder, é o despoder.
Ensina a generosidade,
a vontade de se diminuir para que o amor aumente.
Amar é ceder o gosto, a vida, o futuro.
É oferecer a metade da gaveta,
da cama, da luz, do banho,
da mesa, da folha.
É oferecer o que ainda nem se chegou a conhecer."

E.C.T- Cássia Eller

Cássia e Rita Lee

Canção- Clarice Lispector


"No desequilíbrio dos mares,
as proas giram sozinhas...
Numa das naves que afundaram
é que certamente tu vinhas.
Eu te esperei todos os séculos
sem desespero e sem desgosto,
e morri de infinitas mortes
guardando sempre o mesmo rosto
Quando as ondas te carregaram
meu olhos, entre águas e areias,
cegaram como os das estátuas,
a tudo que existe alheias.
Minhas mãos pararam sobre o ar
e endureceram junto ao vento,
e perderam a cor que tinham
e a lembrança do movimento.
E o sorriso que eu te levava
desprendeu-se e caiu de mim:
e só talvez ele ainda viva
dentro destas águas sem fim."




'Eu sou Neguinha"- Cássia Eller

sábado, 31 de outubro de 2009

Relicário no fim de semana Cássia Eller

Por amor- Clarice Lispector

"Agora preciso de tua mão,
não para que eu não tenha medo,
mas para que tu não tenhas medo.
Sei que acreditar em tudo isso será,
no começo,a tua grande solidão.
Mas chegará o instante em que me darás a mão,
não mais por solidão,mas como eu agora:por amor."

Malandragem-Cássia Eller

Fim de semana Cássia Eller- Meu mundo ficaria completo

Estrelas- Antoine Saint-Exupéry


As pessoas têm estrelas que não são as mesmas.

Para uns, que viajam, as estrelas são guias.

Para outros, elas não passam de pequenas luzes.

Para outros, os sábios, são problemas.

Para o meu negociante, eram ouro.

Mas todas essas estrelas se calam.

Tu porém, terás estrelas como ninguém...

Quero dizer: quando olhares o céu de noite,(porque habitarei uma delas e estarei rindo),

então será como se todas as estrelas te rissem!

E tu terás estrelas que sabem sorrir!

Assim, tu te sentirás contente por me teres conhecido.

Tu serás sempre meu amigo (basta olhar para o céu e estarei lá).

Terás vontade de rir comigo.

E abrirá, às vezes, a janela à toa, por gosto...

E teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir olhando o céu.

Sim, as estrelas, elas sempre me fazem rir!"

Fim de semana Cássia Eller II- Luz dos Olhos

Fim de Semana Cássia Eller- Parte I

Olá amigos!
Neste fim de semana postarei vídeos da mineira Cássia Eller, a super cantora que nos deixou em dezembro de 2001. Começo com a canção "Por Enquanto", do inesquecível Renato Russo. Com a gravação desta música, no começo da década de 90, comecei a ouvir Cássia com mais carinho e atenção. Até hoje tenho uma fita cassete que era do meu amigo Gugu com as músicas do seu primeiro cd.
Espero que curtam....

Para ti- Mia Couto


"Foi para ti que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo
Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que talhei
o sabor do sempre
Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos vivendo
de um só amando de uma só vida"

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Solte suas amarras


"Daqui a alguns anos estará mais arrependido
pelas coisas que não fez do que pelas que fez.
Solte as amarras!
Afaste-se do porto seguro! Agarre o vento em suas velas!
Explore!
Sonhe! Descubra!"

Mark Twain

Pessoas são músicas...

" Elas entram na vida da gente e deixam sinais.
Como a sonoridade do vento ao final da tarde.
Como os ataques de guitarras e metais presentes em cada clarão da manhã.
Olhe a pessoa que está ao seu lado e você vai descobrir,olhando fundo,
que há uma melodia brilhando no disco do olhar.
Procure escutar.
Pessoas foram compostas para serem ouvidas,
sentidas,compreendidas, interpretadas.
Para tocarem nossas vidas com a mesma força do instante em que foram criadas,
para tocarem suas próprias vidas, com toda essa magia de serem músicas.
E de poderem alçar todos os vôos,
de poderem vibrar com todas as notas,
de poderem cumprir, afinal, todo o sentido que a elas foi dado pelo compositor.
Pessoas são músicas como você. Está ouvindo?
Pessoas têm que fazer sucesso.
Mesmo que não estejam nas paradas.
Mesmo que não toquem no rádio."
José Oliva

Declaração de amor-Martha Medeiros


"Declaração de amor funciona.Não é varinha de condão, não faz mágica, mas jamais passa despercebida. Todo mundo, não importa a idade, o sexo ou o estado civil, quer ser amado. Podemos até já ser muito amados, mas queremos mais. Mas mesmo quando a gente desperta o interesse em quem não nos atrai, ainda assim isso mexe favoravelmente com nosso ego. E esta pessoa deixa de ser um ninguém. Um cara ou uma garota chega perto de você e diz com todas as letrasque você é a pessoa mais importante da vida dela,que te ama pra caramba e pede para que,se você um dia achar possível retribuir esse sentimento, mande avisar.Vira as costas e vai embora. Cacilda. Você só vai debochar dessa criatura se for muito tosco. Se você o achava um idiota, pense duas vezes: este idiota se amarrou em você,então não deve ser tão idiota assim. Apaixonou-se? Declare-se. Pode dar em nada, mas garanto que você vai ficar na cabeça de alguémo tempo necessário para ele considerar a hipótese."

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A disciplina do amor- Lygia Fagundes Telles


"Estranho, sim. As pessoas ficam desconfiadas, ambíguas diante dos apaixonados. Aproximam-se deles, dizem coisas amáveis, mas guardam certa distância, não invadem o casulo imantado que envolve os amantes e que pode explodir como um terreno minado. Muita cautela ao pisar nesse terreno. Com sua disciplina indisciplinada,os amantes são seres diferentes e o ser diferente é excluído porque vira desafio, ameaça. Se o amor na sua doação absoluta os faz mais frágeis, ao mesmo tempo os protege como uma armadura. Os apaixonados voltaram ao jardim do paraíso,provaram da árvore do conhecimento e agora sabem..."

domingo, 18 de outubro de 2009

Fim de semana Pedro Mariano- Parte IV

Ama-me- Hilda Hist


"Ama-me.
É tempo ainda.
Interroga-me.
E eu te direi que o nosso tempo é agora.
Esplêndida avidez, vasta ventura
Porque é mais vasto o sonho que elabora
Há tanto tempo sua própria tessitura.
Ama-me.
Embora eu te pareça
Demasiado intensa.
E de aspereza.
E transitória
se tu me repensas."

Fim de semana- Pedro Mariano- parte III

Charles Chaplin


Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância,eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.E então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome... Auto-estima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional,não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.Hoje sei que isso é...Autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferentee comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.Hoje chamo isso de... Amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivotentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo,mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome disso é... Respeito.
Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável...Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo.De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama... Amor-próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazergrandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo. Hoje sei que isso é... Simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e,com isso, errei muitas menos vezes.Hoje descobri a... Humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro.Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.Hoje vivo um dia de cada vez.Isso é... Plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.Tudo isso é... Saber viver!

sábado, 17 de outubro de 2009

Fim de semana Pedro Mariano-parte II

Martha Medeiros




"De todos meus versos de amor:
as rimas e frases reinventadas,
as jogadas de efeito,os subterfúgios
e os hai-kais,anotações de diário.
De todos os nomes que dei para crises de adolescência
e carências plagiadas,
de todo minimalismo,
clichês e letras de música.
De toda minha literatura,
você foi minha melhor página. "

Fim de semana Pedro Mariano- Parte I

Neste fim de semana vou postar algumas músicas do cantor Pedro Mariano. Filho de Elis Regina e César Camargo Mariano, há anos é um dos meus prediletos. Letras bacanas, swing de primeira, forte presença no palco...Enfim, o cara é bom!! Espero que curtam!!


Uma leve pitada de Vinícius de Moraes


"O verdadeiro amor de quem se ama

tece a mesma antiga trama e não se desfaz.

A coisa mais bonita desse mundo

é viver cada segundo como nunca mais."

sábado, 10 de outubro de 2009

De que são feitos os dias- Cecília Meireles


"De pequenos desejos, vagarosas saudades,
silenciosas lembranças.
Entre mágoas sombrias,
momentâneos lampejos:
vagas felicidades, inatuais esperanças.
De loucuras, de crime,
de pecados,
de glórias,
do medo que encadeia todas essas mudanças.
Dentro deles vivemos,
dentro deles choramos,
em duros desenlaces
e em sinistras alianças."

Fim de semana Lenine- parte II

Amizade



"O amigo é a resposta aos teus desejos. Mas não o procures para matar o tempo! Procura-o sempre para as horas vivas. Porque ele deve preencher a tua necessidade,mas não o teu vazio."

Gibran Khalil Gibran

Fim de semana Lenine

A presença de Mário Quintana neste fim de semana


"Presença"


É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exato e que, apenas, levemente,

o vento das horas ponha um frêmito em teus cabelos...

É preciso que a tua ausência trescale sutilmente, no ar,

a trevo machucado,a folhas de alecrim desde há muito guardadas

não se sabe por quem, nalgum móvel antigo...

Mas é preciso também que seja como abrir uma janela

e respirar-te, azul e luminosa, no ar.

É preciso a saudade para eu te sentir

como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...

Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista

que nunca te pareces com o teu retrato...

E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te!

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Ternura - Vinícius de Moraes

"Eu te peço perdão por te amar de repente
Embora o meu amor
seja uma velha canção nos teus ouvidos
Das horas que passei à sombra dos teus gestos
Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos
Das noites que vivi acalentando
Pela graça indizível
dos teus passos eternamente fugindo
Trago a doçurados que aceitam melancolicamente.
E posso te dizer
que o grande afeto que te deixo
Não traz o exaspero das lágrimas
nem a fascinação das promessas
Nem as misteriosas palavras
dos véus da alma...
É um sossego, uma unção,um transbordamento de carícias
E só te pede que te repouses quieta, muito quieta
E deixes que as mãos cálidas da noite
encontrem sem fatalidade
o olhar estático da aurora."

sábado, 3 de outubro de 2009

Mais Vercillo...

Ousar- Seneca


"Não é porque certas coisas são difíceis que nós não ousamos.
É justamente porque não ousamos que tais coisas são difíceis!"

Um fim de semana vercilando....

Lembrete- Mário Quintana


'A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira.
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já se passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia,
outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho,
a casca dourada e inútil das horas.
Desta forma, eu digo:
não deixe de fazer algo de que gosta devido a falta de tempo;
a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente nao voltará mais.'

Para começar bem o fim de semana....

Uma pitada de Martha Medeiros


" o tempo não cura tudo. Aliás, o tempo não cura nada, o tempo apenas tira o incurável do centro das atenções!..."

Nossa prisão-Antoine Saint-Exupéry


“Quando trabalhamos só com mira nos bens materiais, construímos nós próprios a nossa prisão. Encarceramo-nos, sozinhos com as nossas moedas de cinza, que não compram nada que valha a pena viver.”

sábado, 26 de setembro de 2009

Barão e Cazuza..

A alegria na tristeza- Martha Medeiros


"O título desse texto na verdade não é meu, e sim de um poema do uruguaio Mario Benedetti. No original, chama-se "Alegría de la tristeza" e está no livro "La vida ese paréntesis" que, até onde sei, permanece inédito no Brasil. O poema diz que a gente pode entristecer-se por vários motivos ou por nenhum motivo aparente, a tristeza pode ser por nós mesmos ou pelas dores do mundo, pode advir de uma palavra ou de um gesto, mas que ela sempre aparece e devemos nos aprontar para recebê-la, porque existe uma alegria inesperada na tristeza, que vem do fato de ainda conseguirmos senti-la. Pode parecer confuso mas é um alento. Olhe para o lado: estamos vivendo numa era em que pessoas matam em briga de trânsito, matam por um boné, matam para se divertir. Além disso, as pessoas estão sem dinheiro. Quem tem emprego, segura. Quem não tem, procura. Os que possuem um amor desconfiam até da própria sombra, já que há muita oferta de sexo no mercado. E a gente corre pra caramba, é escravo do relógio, não consegue mais ficar deitado numa rede, lendo um livro, ouvindo música. Há tanta coisa pra fazer que resta pouco tempo pra sentir. Por isso, qualquer sentimento é bem-vindo, mesmo que não seja uma euforia, um gozo, um entusiasmo, mesmo que seja uma melancolia. Sentir é um verbo que se conjuga para dentro, ao contrário do fazer, que é conjugado pra fora. Sentir alimenta, sentir ensina, sentir aquieta. Fazer é muito barulhento. Sentir é um retiro, fazer é uma festa. O sentir não pode ser escutado, apenas auscultado. Sentir e fazer, ambos são necessários, mas só o fazer rende grana, contatos, diplomas, convites, aquisições. Até parece que sentir não serve para subir na vida.Uma pessoa triste é evitada. Não cabe no mundo da propaganda dos cremes dentais, dos pagodes, dos carnavais. Tristeza parece praga, lepra, doença contagiosa, um estacionamento proibido. Ok, tristeza não faz realmente bem pra saúde, mas a introspecção é um recuo providencial, pois é quando silenciamos que melhor conversamos com nossos botões. E dessa conversa sai luz, lições, sinais, e a tristeza acaba saindo também, dando espaço para uma alegria nova e revitalizada. Triste é não sentir nada. "

Lya Luft na manhã de sábado...


"A vida é maravilhosa, mesmo quando dolorida.
Eu gostaria que na correria da época atual a gente pudesse se permitir,
criar, uma pequena ilha de contemplação,
de autocontemplação, de onde se pudesse ver melhor todas as coisas:
com mais generosidade, mais otimismo, mais respeito, mais silêncio, mais prazer.
Mais senso da própria dignidade, não importando idade, dinheiro, cor, posição, crença.
Não importando nada. "
in O Ponto Cego.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Para fechar a sexta...


Medo de sofrer o que não está acostumada. Medo de se conhecer e esquecer outra vez. Medo de sacrificar a amizade. Medo de perder a vontade de trabalhar, de aguardar que alguma coisa mude de repente, de alterar o trajeto para apressar encontros. Medo se o telefone toca, se o telefone não toca. Medo da curiosidade, de ouvir o nome dele em qualquer conversa. Medo de inventar desculpa para se ver livre do medo. Medo de se sentir observada em excesso, de descobrir que a nudez ainda é pouca perto de um olhar insistente. Não suportar ser olhada com esmero e devoção. Nem os anjos, nem Deus agüentam uma reza por mais de duas horas. Medo de ser engolida como se fosse líquido, de ser beijada como se fosse líquen, de ser tragada como se fosse leve. Você tem medo de se apaixonar por si mesma logo agora que tinha desistido de sua vida. Medo de enfrentar a infância, o seio que criou para aquecer as mãos quando criança, medo de ser a última a vir para a mesa, a última a voltar da rua, a última a chorar. Você tem medo de se apaixonar e não prever o que pode sumir, o que pode desaparecer. Medo de se roubar para dar a ele, de ser roubada e pedir de volta. Medo de que ele seja um canalha, medo de que seja um poeta, medo de que seja amoroso, medo de que seja um pilantra, incerta do que realmente quer, talvez todos em um único homem, todos um pouco por dia. Medo do imprevisível que foi planejado. Medo de que ele morda os lábios e prove o seu sangue. Você tem medo de oferecer o lado mais fraco do corpo. O corpo mais lado da fraqueza. Medo de que ele seja o homem certo na hora errada, a hora certa para o homem errado. Medo de se ultrapassar e se esperar por anos, até que você antes disso e você depois disso possam se coincidir novamente. Medo de largar o tédio, afinal você e o tédio enfim se entendiam. Medo de que ele inspire a violência da posse, a violência do egoísmo, que não queira repartir ele com mais ninguém, nem com seu passado.Medo de que não queira se repartir com mais ninguém, além dele. Medo de que ele seja melhor do que suas respostas, pior do que as suas dúvidas. Medo de que ele não seja vulgar para escorraçar mas deliciosamente rude para chamar, que ele se vire para não dormir, que ele se acorde ao escutar sua voz. Medo de ser sugada como se fosse pólen, soprada como se fosse brasa, recolhida como se fosse paz. Medo de ser destruída, aniquilada, devastada e não reclamar da beleza das ruínas. Medo de ser antecipada e ficar sem ter o que dizer. Medo de não ser interessante o suficiente para prender sua atenção. Medo da independência dele, de sua algazarra, de sua facilidade em fazer amigas. Medo de que ele não precise de você. Medo de ser uma brincadeira dele quando fala sério ou que banque o sério quando faz uma brincadeira. Medo do cheiro dos travesseiros. Medo do cheiro das roupas. Medo do cheiro nos cabelos. Medo de não respirar sem recuar. Medo de que o medo de entrar no medo seja maior do que o medo de sair do medo. Medo de não ser convincente na cama, persuasiva no silêncio, carente no fôlego. Medo de que a alegria seja apreensão, de que o contentamento seja ansiedade. Medo de não soltar as pernas das pernas dele. Medo de soltar as pernas das pernas dele. Medo de convidá-lo a entrar, medo de deixá-lo ir. Medo da vergonha que vem junto da sinceridade. Medo da perfeição que não interessa. Medo de machucar, ferir, agredir para não ser machucada, ferida, agredida. Medo de estragar a felicidade por não merecê-la. Medo de não mastigar a felicidade por respeito. Medo de passar pela felicidade sem reconhecê-la. Medo do cansaço de parecer inteligente quando não há o que opinar. Medo de interromper o que recém iniciou, de começar o que terminou. Medo de faltar as aulas e mentir como foram.Medo do aniversário sem ele por perto, dos bares e das baladas sem ele por perto, do convívio sem alguém para se mostrar. Medo de enlouquecer sozinha. Não há nada mais triste do que enlouquecer sozinha. Você tem medo de já estar apaixonada...
Fabrício Carpinejar em "O Amor Esquece de Começar"