sábado, 28 de fevereiro de 2009

Para alguém especial..




Há algum tempo entrou na minha vida e não mais saiu....

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Segunda musical...




"Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche."

Martha Medeiros

DEFINIÇÕES


"Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.
Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.
Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.
Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.
Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa. Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.
Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.
Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista. Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.
Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.
Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.
Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.
Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.
Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.
Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.
Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.
Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia.
Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.
Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.
Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.
Paixão é quando apesar da palavra ¨perigo¨ o desejo chega e entra.
Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Não... Amor é um exagero... também não.Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação, Esse negócio de amor, não sei explicar."

Mário Prata

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Um dia de verão..


"Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.
Às vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.
Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:
Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver. "
William Shakespeare

Destino


"Destino não é uma questão de chance, é uma questão de escolha; não é uma coisa para ser esperada, mas sim para ser alcançada."
Willian Bryan

sábado, 14 de fevereiro de 2009

É cedo ou tarde demais...





Nem escreverei muito. Deixo meus amigos dos Titãs falarem por mim...

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Quintana na quarta

"Fechei os olhos para não te ver
e a minha boca para não dizer…
E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei,
e da minha boca fechada nasceram sussurros
e palavras mudas que te dediquei…
O amor é quando a gente mora um no outro."
Mario Quintana

Neruda na quarta





"Saudade é amar um passado que ainda não passou,
É recusar um presente que nos machuca,
É não ver o futuro que nos convida … ”
Pablo Neruda

Junto com este poema de Neruda, coloco uma cena de um dos meus filmes prediletos, e que há tempos não vejo: As pontes de Madison.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Chove chuva...

"Sonhe com o que você quiser. Vá para onde você queira ir.
Seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida
e nela só temos uma chance de fazer aquilo que queremos.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz."
Clarice Lispector

Reencontro



Depois de tantas perdas em minha família nos últimos anos, às vezes acho difícil seguir em frente de maneira normal. Nem mesmo o fato de ter uma religião que nos consola mais num momento de tanta dor, ameniza a falta que certas pessoas fazem no dia a dia. Tenho saudades de uma outra época. Em que não precisava me preocupar com problemas do cotidiano. Mas não adianta choramingar muito sobre isso. Vivo um momento de tristeza e só mesmo a presença de algumas pessoas consegue me fazer enxergar certas coisas de uma maneira mais otimista. Algumas dessas pessoas nem tenho a alegria de conviver da maneira que eu queria, mas a simples presença por meio de torpedos ou no monitor de um computador, já me devolve a alegria que anda escondida nesses últimos tempos. A vida é feita de encontros, desencontros e reencontros. No instante em que vivo, o reencontro tem sido o combustível para vivenciar situações menos difíceis. Mesmo que às vezes tenhamos que enfrentar obstáculos tidos como intransponíveis. Sem problemas.... Quem sabe um dia nos encontremos no escurinho do cinema...

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Paralamas!!!!!!!!



Já brindei o show dos Paralamas no "Sociedade Blog" e faço o mesmo aqui. Trata-se de uma das minhas bandas prediletas, e que me remetem à uma época inesquecível de minha vida louca vida. Os Paralamas estão há 25 anos na estrada com muita competência, carisma e rock and roll!!! É o meu primeiro show do verão. Não poderia começar melhor....

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Ao amor antigo

Ao Amor Antigo
"O amor antigo vive de si mesmo,
não de cultivo alheio
ou de presença.
Nada exige nem pede.
Nada espera,
mas do destino vão nega a sentença.
O amor antigo tem raízes fundas,
feitas de sofrimento e de beleza.
Por aquelas mergulha no infinito,
e por estas suplanta a natureza.
Se em toda parte o tempo desmorona
aquilo que foi grande e deslumbrante,
a antigo amor, porém, nunca fenece
e a cada dia surge mais amante.
Mais ardente, mas pobre de esperança.
Mais triste? Não. Ele venceu a dor,
e resplandece no seu canto obscuro,
tanto mais velho quanto mais amor."

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Para Lalá


Essa foto é de maio de 2008, aniversário de meu irmão Bruno. E demonstra bem a alegria de nossa Lalá. Esse foi um dos presentes que ela deu a ele. Uma cuequinha rosa. Salve Lalá!!



No último sábado "a jiripoca piou". Era assim que tia Lalá, sempre alto astral e gozadora, falava de seu estado de saúde ultimamente. Na sua última internação, quando nos preparávamos para levá-la para o hospital, ela já muito cansada, mas sem perder sua alegria, olhou fundo nos meus olhos e disse: "Netinho, a jiripoca vai piar!!". Dali em diante foram dias de muito sofrimento para ela e para nós que a amamos.
Só que Lalá não combinava com tristeza. Era a pessoa mais intensa que conheci. Falava o que vinha na cabeça, e por muitas vezes cometia exageros. Mas quem não os comete?? Era aquela tia que todo sobrinho aprendia a amar desde neném. Tirava onda com todo mundo, pois sempre ensinava os novos sobrinhos, consanguíneos ou não, a falar "Lalá". Às vezes, eles aprendiam isso antes mesmo de falar "Mamãe" ou "Papai". Da minha infância tenho lembranças gostosíssimas dela jogando bola conosco. E de suas brincadeiras que atravessaram anos e anos sem sair de nossas cabeças.... Da minha adolescência, sua casa, onde moro hoje em dia, era o ponto de encontro de jornalistas, poetas, boêmios e políticos... Eram noitadas maravilhosas, ao som de muita MPB, cerveja gelada, gente inteligente e risadas!!! Graças a Lalá, conheci pessoas que até hoje fazem parte de minha vida de uma maneira super especial.
O tempo foi passando e como nem tudo na vida são flores, tivemos também nossos momentos difíceis. Muito difíceis. Talvez por sermos muito parecidos em certas coisas. Entretanto, tenho muito a agradecer a Deus e a nossa família, a oportunidade que tivemos de esquecer esses momentos e dar muito amor um ao outro. Nos últimos tempos, ao invés de cerveja gelada e discussões inúteis, compartilhamos de manhãs de paz e noites de reflexão nos grupos espíritas que íamos juntos. Sou um cara que mesmo com vários problemas do cotidiano, não pode reclamar muito. Na mesma encarnação, pude desfrutar de momentos inesquecíveis e de resgate com duas pessoas que amo muito: Meu irmão Léo e minha tia Lalá.

Se Laís Peixoto não foi mãe de verdade, deixa órfãos vários sobrinhos e amigos. Uma lição de amor à vida e a seus ideais!!

Termino este texto com um trecho da música que cantei em silêncio durante seu enterro. Uma música que representa muito bem quem foi Laís Peixoto!!


"Viver!E não ter a vergonha
De ser feliz
Cantar e cantar e cantar
A beleza de ser
Um eterno aprendiz...
Ah meu Deus!
Eu sei, eu sei
Que a vida devia ser
Bem melhor e será
Mas isso não impede
Que eu repita
É bonita, é bonita
E é bonita...
E a vida!E a vida o que é?
Diga lá, meu irmão
Ela é a batida
De um coração
Ela é uma doce ilusão
Hê! Hô!...E a vida
Ela é maravilha
Ou é sofrimento?
Ela é alegria
Ou lamento?O que é? O que é?Meu irmão..."

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Quem sabe??


"Eu sigo-te e tu foges. É este o meu destino:
Beber o fel amargo em luminosa taça,
Chorar amargamente um beijo teu, divino,
E rir olhando o vulto altivo da desgraça!

Tu foges-me, e eu sigo o teu olhar bendito;
Por mais que fujas sempre, um sonho há de alcançar-te
Se um sonho pode andar por todo o infinito,
De que serve fugir se um sonho há de encontrar-te?!

Demais, nem eu talvez, perceba se o amor
É este perseguir de raiva, de furor,
Com que eu te sigo assim como os rafeiros leais.

Ou se é então a fuga eterna, misteriosa,
Com que me foges sempre, ó noite tenebrosa!
……………………………………..
Por me fugires, sim, talvez me queiras mais! "


Florbela Espanca

Poesia de Clarice

"Gosto dos venenos os mais lentos!
As bebidas as mais fortes!
Dos cafes mais amargos!
E os delirios mais loucos.
Voce pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
E daí..eu adoro voar!!!"
Clarice Lispector