terça-feira, 23 de outubro de 2012

Manifesto pela maciez - Carpinejar







Esqueça a terminologia psiquiátrica, os tipos de transtornos.
Vou facilitar sua vida. Há somente dois tipos de pessoas.
As pessoas macias e as pessoas duras.
As pessoas macias não são gordas. Não é isso. Podem ser magras. 
A maciez é um traço de personalidade.
Gente doce, afetiva, abraça com calma, escuta com interesse.
A maciez é um estado de ternura. A pele recebe, os olhos recebem, há uma tranquilidade calorosa, uma vontade de permanecer falando à toa.
Maciez é uma generosidade natural. 
A pessoa macia é ótima para dar colo, e guardar confidências.
Você está triste e a pessoa macia logo nos cuida.
Você está feliz e a pessoa macia aumenta nossa felicidade.
A pessoa macia canta suas músicas prediletas no box. Brinca com crianças. Para na rua a elogiar os cachorros na rua. Demora a sair da mesa. 
Gosta do seu trabalho e não reclama mesmo quando está doente.
Já a pessoa dura é inflexível, teimosa, orgulhosa.
Logo que nos aproximamos e ela já solicita espaço, evita o maior contato. 
Ela não abraça, mas esbarra. Bate nas tuas costas como se fosse porta.  
Não beija as bochechas, beija o ar.
Está sempre falando mal de alguém ou de si mesma.
A pessoa dura é de madeira, de ferro. Não se emociona. Não ri. 
Não fica muito tempo casada com ninguém.
Ela se diz independente, mas é fóbica de intimidade.
Não suporta bebês, odeia a família dos outros, sexo é apenas ginástica.
A pessoa dura é fácil de identificar.
Você fica pesada depois que a encontra. Você se sente mal. 
Explorada. Esgotada. 
Você parece que perdeu sua alma depois de conversar com ela.

Um comentário:

Luciana Cescon disse...

Lindo texto, linda imagem. Adorei.