segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Monólogo- Cecília Meireles

Para onde vão minhas palavras,se já não me escutas?
Para onde iriam, quando me escutavas?
E quando me escutastes?
- Nunca.Perdido, perdido.
Ai, tudo foi perdido!
Eu e tu perdemos tudo.
Suplicávamos o infinito.
Só nos deram o mundo.
De um lado das águas, de um lado da morte
,tua sede brilhou nas águas escuras.
E hoje, que barca te socorre?
Que deus te abraça? Com que deus lutas?
Eu, nas sombras. Eu, pelas sombras,com minhas perguntas.
Para quê? Para quê? Rodas tontas,em campos de areias longas
e de nuvens muitas.