quinta-feira, 24 de junho de 2010

Intensa- Ana Jácomo


Sou dessa leva de gente que tem como sina ver demais.
Sentir demais.
Amar quase do tamanho do amor.
Traço de nascença, uma estranha dádiva que,
durante temporadas,
pra facilitar a própria vida,
egoísmo que seja,
a gente tenta disfarçar de tudo que é maneira que aprende.
Mas não tem jeito, nunca terá,
nascer assim é irremediável,
o que é preciso é desaprender o medo.

4 comentários:

Stella Fort disse...

Me identifiquei muito com seus textos.. PARABÉNS!

MÁRCIA disse...

um dia...hei de me orgulhar por ter sentido tanto, ter duvidado tanto, ter amado tudo quanto pude...

Roberta disse...

Oi Netão ...
achei voce na blogosfera... parabéns pelo blog
saudades de todos aí
Roberta Fortunato ... a irmã da Gisely...

Neto disse...

OLá Robertinha!!!!
Bom ter vc por aqui....pena que abandonei este blog....rsrs