quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Greve na Justiça: ninguém sai ganhando

Na mesma semana em que é celebrado o Dia do Servidor Público, alguns representantes da classe não têm muitos motivos para comemorar. Os serventuários da Justiça do Rio de Janeiro estão em greve há 37 dias. Segundo o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Rio de Janeiro (Sind-Justiça), a categoria exige que a Assembléia Legislativa (Alerj) vote o Projeto de Lei 1.666/08, encaminhado pelo presidente do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) desde junho passado, que concede reajuste de 7,3% para a categoria. O sindicato informou que somente as medidas urgentes estão sendo atendidas pelos cartórios.
Além do reajuste, os serventuários reivindicam a concessão do vale alimentação nas férias e durante as licenças médicas, a implementação do auxílio transporte e a elevação da data para a concessão do auxílio-creche para até os sete anos de idade.
A alegação dos grevistas é que há um embate político entre o governador Sérgio Cabral (PMDB), e o poder judiciário. Eles dizem que o Governo do Estado, que tem maioria absoluta e mantém a presidência do legislativo, tem impedido que a reivindicação seja posta em pauta.
O líder do governo na Alerj, deputado Paulo Melo (PMDB), informou ao sindicato que o projeto será votado no dia 5 de novembro, às 16h. Os grevistas informaram que pretendem manter a greve até essa data.
Com a paralisação, mesmo que parcial, diferentes setores da sociedade acabam pagando um preço alto. Mesmo com a greve em andamento, o Tribunal de Justica do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) não decretou a paralisação na contagem dos prazos dos processos que estão em andamento.
Mas não se pode colocar a culpa somente nos funcionários, que, afinal de contas estão lutando por direitos que consideram justos. Só esperamos um pouco de bom senso de ambos os lados. Os servidores poderiam ser menos radicais em algumas situações. E o digníssimo governador que está sempre a viajar pela Europa, mas que nos últimos tempos estava envolvido com as eleições no Rio, pode agora arranjar um tempinho em sua agenda e tentar resolver esse problema que se agrava a cada dia, prejudicando milhares de pessoas.

14 comentários:

Anônimo disse...

Essa greve está prejudicando todo mundo!!!!! Os processos não andam, os clientes ficam impacientes e os advogados revoltados....Já passou da hora dessa greve acabar....sei que os funcionários estão lutando por seus direitos, mas e a população como fica???????

Gustavo Rangel disse...

vira o monitor de cabeça para baixo e tenta. confirrrmaaadoooo nossa aula!!!rsrsrs

Flamenguista disse...

Sou advogado e acho que tudo pode ser resolvido com diálogo. Como foi falado, muitas pessoas estão sendo prejudicadas com essa paralisação. A Justiça já é morosa normalmente e agora vários processos estão parados. Algo tem que ser feito urgentemente.

Anônimo disse...

É preciso que se saiba que a data base da categoria é 01/05. As lideranças negociaram pacientemente até 31/07 com a Administração do Tribunal, quando lhes foi oferecido uma reposição de 7,3%, aceitos apesar da defasagem superar os 30%. A Presidência do Tribunal afirmou que tal percentual (7,3%) era o possível tendo em vista os limites impostos pela lei de Responsabilidade Fiscal e o Orçamento do Poder Judiciário. Disse ainda que para evitar desgastes desnecessários iria antes conversar com os outros dois Poderes. Isto feito, e com a concordância de ambos, leia-se Sérgio Cabral e Picciani, mandou o Projeto de Lei à Alerj em início de agosto. Mais uma vez o Governador e o presidente da Alerj roeram as cordas. Os serventários da justiça aguardaram ainda do início de agosto até o final de setembro, sem qq resposta da ALERJ, que não vota pq a maioria q obedece às ordens de Cabral não deixa. O que resta aos serventuários? A greve. Com a palavra o Sr. Sérgio Cabral.

Anônimo disse...

Assim como está ficar realmente mto difícil!!! Sergio Cabral daqui a pouco viaja de novo e não resolve este problema tão grave!!!

Anônimo disse...

Eu sei que todos tem direito de lutar pelos seus direitos mas como fica o direito das pessoas que depende da justiça Sr. Governador Sergio Cabral pense na população estamos esperando uma solução.

Anônimo disse...

è claro que todos devemos reivindicar nossos direitos , só que esta greve já está prejudicando em demasia a população , principalmente a mais carente , que as pela falta de solução em um processo atravessa serias dificuldades , até qdo governador.

Anônimo disse...

Quem diriciona a greve, não é o servidor, que está mais do que ancioso que os serviços voltem à normalidade, e sim nosso Excrotíssímo governador Cabralzinho, que antes estava preocupado, não com a população, e sim com as eleições, e agora está preocupado, não com a população, e sim em viajar. Ele gosta de trabalhar??? Coitado! Tá cansado, por causa das viagens. Procure o Cabralzinho. Onde está o Cabralzinho?
E outro ponto importante, cadê a autonômia do poder judiciário e a competência, que teria que ter, de valer a lei do Presidente do TJRJ, o Sr. Murta Ribeiro? Antes de encaminhar o projeto de reajuste à ALERJ, foi feito, cuidadosamente, estudo do percentual que poderia ser dado, ficando bem abaixo do limite prudêncial dos gastos com servidores públicos do judiciário, que é de 5,7%, foi feita uma reunião com, imaginem, o seu Cabral, e o sr. Murta Ribeiro, onde foi discutido e debatido o projeto de lei do aumento dos servidores, e foi dado o sinal positivo pelo governador. Cadê a autonomia do Poder Judiciário? É agora seu Cabral? Pois, pois...
Servidor não é juiz, nem desembargador, muito menos deputado, vereador, ou governador, nem perdeu o "dedo mindinho", por isso tem que pastar, esse é o pensamento do seu Cabral. Coitado dos servidores públicos, onde eles foram amarrar a égua.

Anônimo disse...

É obrigação de toda a população apoiar a legítima luta de uma categoria p não ver seus mínimos direitos respeitados.Se hj o governo estadual retira direitos desta ou daquela categoria amanhã podem ser os meus,os seus,os nossos.O desrespeito de um trabalhador é o desrespeito a todos os trabalhadores!Os prejudicados devem ajudar a pressionar o governador,q é o verdadeiro culpado pela greve e não está nem aí p os servidores nem p os que precisam da justiça!!!

Anônimo disse...

Por favor vamos acabar com esta greve de uma vez, que seja efetivado um acordo dia 19/11 no que tange ao reajuste reivindicado, pois ADVOGADO TEM FAMILIA, TEM CONTA PRA PAGAR E TAMBEM TEM Q SOBREVIVER, com a justiça lenta do jeito que é já é dificil, imagina inerte!

Anônimo disse...

Lamentável a situação de idosos com dinheiro a receber e dependendo da decisão dos juízes, advogados e contadores judiciais, para liberar os alvarás, mas com a justiça em greve...Idosos com mais de 65 anos, casos de idade superior a 80 anos, apenas tentando receber aquilo que tiraram deles nas aposentadorias/pensões e nas poupanças, dinheiro que sempre lhes pertenceu. Os servidores da justiça, até por misericórdia com idosos no fim da vida, poderiam incluir nas "urgências" dos processos, os idosos com dinheiro a receber. Lembrem-se, vocês chegarão lá...na velhice.

adriano disse...

Como pode o poder judiciário aprovar esses babacas com essa greve ridicula? eu estou sendo prejudicado por esses merdas..caso isso me traga mais transtorno eu vou entrar com uma ação contra o tj... esse direito ninguém me tira...

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,酒店,

Anônimo disse...

Il semble que vous soyez un expert dans ce domaine, vos remarques sont tres interessantes, merci.

- Daniel